jusbrasil.com.br
15 de Setembro de 2019

Lei do Insulfilm 2019: quais são as regras para o uso de películas automotivas?

Doutor Multas, Escritor de Não Ficção
Publicado por Doutor Multas
há 5 dias


Estar por dentro das leis de trânsito é uma das muitas obrigações dos condutores e proprietários de veículos. Ao conhecer bem o que é permitido e o que não é, evitam-se multas e outras penalidades, como, até mesmo, a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação.

A Lei do Insulfilm – como é conhecida a Resolução do CONTRAN que aborda este tema – deve ser de conhecimento dos proprietários de veículos, afinal, instalar uma película que não é permitida pelas normas de trânsito brasileiras pode trazer multas e a retenção do veículo para regularização.

Você vai instalar películas nos vidros do seu automóvel, mas não sabe ao certo quais são as exigências do CONTRAN? Então, siga a leitura e veja todas as informações que separei neste artigo!

Insulfilm para vidros de veículos: o que pode e o que não pode?

Como eu disse no começo deste artigo, é o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) o órgão responsável por regulamentar a aplicação das películas em vidros dos veículos. Também chamadas de Insulfilm, tais películas desempenham importantes funções, como, por exemplo, controlar a entrada de raios UV.

Para aplicar Insulfilm nos vidros do veículo, é necessário seguir o que estabelece a Resolução 254/2007 do CONTRAN. Para definir quais tipos de insulfilm e quais não são, foram estabelecidos os limites de transparência que eles devem proporcionar ao veículo. Se não estiverem dentro desses parâmetros, não poderão ser usados.

A transparência do insulfilm dependerá da localização dos vidros. Segundo o CONTRAN, nos para-brisas, o grau de transparência deve ser, no mínimo, 75%. Os vidros laterais e os demais vidros indispensáveis a dirigibilidade do veículo, precisam respeitar o limite mínimo de 70% de transparência. Os demais vidros do veículo, por sua vez, não demandam tanta transparência, sendo que o mínimo de 28% de transparência já será suficiente, de acordo com o CONTRAN. Um detalhe interessante é que, desde 2017, não há limite mínimo de transparência para insulfilm aplicados no teto do veículo.

Outro item que é preciso levar em consideração se refere ao uso de películas espelhadas. Pelo efeito visual que produzem (e que pode ser um risco para demais condutores que trafegam nas vias públicas), elas NÃO estão permitidas para uso automotivo, ok?

O que acontece se eu desobedecer às normas do CONTRAN?

Bem, desobedecer às normas do CONTRAN sobre o uso de películas automotivas é uma infração de trânsito.

Para saber qual é a gravidade dessa infração, bem como suas penalidades, temos que conferir o que diz o artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Segundo seu inciso X conduzir veículo com equipamento obrigatório em desacordo com o estabelecido pelo CONTRAN configura infração grave.

O proprietário infrator terá que arcar com uma multa no valor de R$ 195,23, além de receber cinco pontos na sua carteira de motorista. Em casos assim, quando os agentes de trânsito flagrarem veículos com películas indevidas, está prevista a retenção do automóvel para regularização.

Por que instalar películas automotivas?

Deixar de instalar películas automotivas pelo medo de levar uma multa já não é mais desculpa, correto? Já que, depois de tudo o que vimos até aqui, ficou bem claro o que pode e o que não pode ao instalar Insulfilm nos vidros do veículo.

Mas será que o insulfilm cumpre apenas uma função estética? Não. Na verdade, as atribuições das películas são muito mais funcionais do que estéticas. Entre as principais atribuições dos insulfilm, destaco:

- Controle da entrada de raios ultravioleta: algumas películas já conseguem bloquear em 99% a entrada de raios UV, auxiliando na prevenção de doenças, tais como o câncer de pele;

- Aumentar a resistência dos vidros: vidros nos quais está instalado o insulfilm são mais resistentes contra estilhaçamentos. Desse modo, se acontecer um acidente, a probabilidade de que se estilhacem pelos impactos externos é muito menor, o que significa maior segurança para condutor e passageiros;

- Auxílio no equilíbrio térmico: os insulfilm também atuam para propiciar um ambiente mais equilibrado. Ao diminuir a entrada de calor, a temperatura no interior do veículo é muito mais estável, diminuindo, inclusive, a necessidade de usar ar-condicionado ou de trafegar com os vidros abertos.

Dúvidas? Você pode falar com o Doutor Multas!

Neste artigo, vimos as normas de trânsito atualizadas quanto ao uso de películas em vidros do veículo. Se você seguir as normas das quais falamos, não precisará se preocupar com multas ou demais penalidades pela instalação do insulfilm.

Caso ainda tenha dúvidas, ou se você quer saber melhor como recorrer de multa de insulfilm, entre em contato com a nossa equipe de profissionais especializados em recursos de multas! Você pode escrever um e-mail ou ligar para nós!

E-mail: doutormultas@doutormultas.com.br

Telefone: 0800 6021 543

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Eu uso o meu bem escuro nas portas justamente por causa do sol. Quando passo em blitz, eu abaixo os 04 vidros continuar lendo

São os reativos atacando de novo.

youtube.com/watch?v=JEpKoD99Ihw continuar lendo

Já que o assunto é transparência, vou ajudar a compreensão daqueles que acham a resolução meio confusa, considere para as áreas envidraçadas do veículo:

* Para-brisa frontal, 75% de transmitância de luminosidade = 25% de fume;

* Vidros laterais/motorista e passageiro, 30% de transmitância de luminosidade = 70% fume;

* Vidros do banco da traseiro/passageiros, 28% de transmitância de luminosidade = 72% fume;

* Para-brisa traseiro/porta traseira, 28% de transmitância de luminosidade = 72% fume.

Importante registrar que as áreas envidraçadas que contenham a película, devem conter a chancela visível do lado externo dos vidros para facilitar a fiscalização, e caso o agente de trânsito não tenha o luxímetro (aparelho usado para aferir a transmitância), ele não pode reter seu veículo, muito menos autuar, se o fizer, estará agindo em desacordo com a resolução 254 do CONTRAN. continuar lendo

Hoje já existem películas anti-UV e anti-térmicas (infravermelho) para uso nos parabrisas frontais. São praticamente transparentes, não ofendendo portanto a resolução 254/2007, mas dão uma excelente proteção contra o desgaste causado pelo sol nos painéis, direção e assentos frontais do veículo, além de reforçar o vidro do parabrisa contra estilhaçamento.

Num país tropical de sol inclemente, como o nosso (já chegou ao ponto de derreter as soldas internas de um aparelho GPS que deixei fixado no parabrisa) é um excelente investimento para proteger seu carro. Há películas anti-UV e anti-térmicas importadas (não chinesas) e nacionais de alta qualidade (como as da 3M) e nacionais razoáveis, cada qual com um preço proporcional.

Nota: não vendo nem instalo essas películas, sou apenas um usuário. continuar lendo